A maioria dos administradores sabe a importância que o marketing tem para a organização, porém, alguns ainda acham que a função do marketing está ligada apenas a propaganda dos produtos. Na verdade, a administração de marketing consiste na elaboração de estratégias e práticas para atingir os objetivos dessa área da organização (Kotler e Keller, 2006). Por exemplo, podem ser ações de valorização do produto, aproximação do público-alvo do produto, comunicação com os clientes, entre outras. Diante disso, a seguir serão apresentados alguns conceitos fundamentais que auxiliam na compreensão da área de atuação do marketing.

Primeiramente, marketing pode ser definido como uma forma de satisfação das necessidades humanas e sociais, gerando algum tipo de lucro para as empresas. Ou seja, o marketing é uma espécie de ação estratégica a qual a organização deverá adaptar-se ao ambiente externo, buscando utilizar as diversas necessidades particulares dos indivíduos como uma oportunidade de geração de lucro para o negócio (KOTLER; KELLER, 2012).

Necessidade, é um estado de privação dos indivíduos, relacionado ao atendimento das necessidades humanas básicas. Tal conceito básico possui importância, pois é através da necessidade inicial que o marketing trabalha. Já os desejos, são necessidades sociais e humanas que são moldadas por certos aspectos culturais de uma sociedade. Ou seja, o grupo a qual determinado indivíduo pertence, terá grande parcela de responsabilidade no processo de transformação das necessidades em desejos (SHIMOYAMA; ZELA, 2002).

Desse modo, é necessário definir o que é um produto. Em resumo, ele pode possuir diversas definições, mas, na literatura de marketing o produto prevalece como um conjunto de elementos capazes de satisfazer ou beneficiar o desejo e a necessidade do consumidor (ALMEIDA; TOLEDO, 1992). A demanda, são desejos por produtos ou serviços que são sustentados pela capacidade de compra. Ou seja, independente do seu desejo em sanar uma determinada necessidade, sua demanda apenas será atendida dada suas condições financeiras de concretizar a compra (KOTLER, KELLER, 2012). Assim, pode-se definir a troca como a essência do marketing. Pois, através dela as pessoas podem satisfazer suas necessidades e desejos, obtendo um produto desejado de alguém, e oferecendo algo em contrapartida. Considerando a troca como um processo, a transação passa a ser a unidade de medida e avaliação do marketing. Logo, é o acordo da troca de valores entre as partes envolvidas (ROCHA; PLATT, 2015).

E dentro da definição do marketing, mercado pode ser considerado como um ambiente que abrange um grande agrupamento de clientes. Ou seja, considera-se os vendedores como o setor produtivo e os compradores o mercado (KOTLER, KELLER, 2012). À vista disso, os profissionais de marketing precisam dedicar-se a criar relacionamentos de longo prazo com seus clientes, distribuidores e fornecedores. Com uma boa rede de relacionamentos, os lucros virão naturalmente (KOTLER; ARMSTRONG, 2007).

Os indivíduos tomam suas decisões de compra baseados na percepção de valor dos diversos produtos e serviços disponibilizados no mercado. Desta forma, o valor dado pelo cliente, é entendido pela diferença entre o valor total para o cliente e o custo total para o cliente (KOTLER; KELLER, 2006). De acordo com Garcia (2004), a satisfação é definida pela diferença entres as expectativas e desempenho do produto ou serviço, ou seja, um cliente se torna satisfeito quando o desempenho do produto ou serviço está acima de suas expectativas, e insatisfeito quando suas expectativas não são atendidas. Kotler e Armstrong (2007) ressaltam que o monitoramento da satisfação é o segredo para reter os clientes, uma vez que, um consumidor altamente satisfeito permanece fiel por mais tempo, gera menos custos, faz propaganda da empresa, presta menos atenção à propaganda de marcas concorrentes e é menos sensível a preço.

 

REFERÊNCIAS:

ALMEIDA, Henrique Silveira de; TOLEDO, José Carlos de. Qualidade total do produto. Production, v. 2, n. 1, p. 21-37, 1992.


GARCIA, Danielle Franco de Magalhães. Marketing de relacionamento no setor de transporte aéreo de passageiros no Brasil em 2004: o caso TAM. 2014.


KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2007. 600 p.


KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 14. ed. São Paulo, SP: Pearson Education do Brasil, 2012. 765 p.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing: a bíblia do marketing. 12ª edição. 2006.


ROCHA, Rudimar Antunes da; PLATT, Allan Augusto. Administração de Marketing. 3. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2015. 166 p.


SHIMOYAMA, Claudio; ZELA, Douglas Ricardo. Administração de marketing. Marketing, v. 3, 2002.

 

Publicado em: 10 de novembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *